quarta-feira, 17 de outubro de 2012

FRONTEIRAS DA CIÊNCIA E DA RELIGIÃO



Desde meninote lá nas terras do Brejinho que me bate esses pensamentos sobre a criação do homem na terra. Esse tema, desde os primórdios é bem complexo, pois sempre envolveu a opinião rígida da igreja católica. Por ser filho único e crescer num ambiente em que eu sempre escutava a conversa de pessoas adultas cresci com a imaginação aguçada para o que acontecia ao meu redor.  Mas o que me encabulava mesmo era olhar para esse imenso azul do céu e tentar imaginar o que tinha depois dele.
Meu pai coitado tentava mas nunca conseguiu me explicar pois era simplesmente o dono de uma venda de beira de estrada que mal completara o terceiro ano primário, apesar de que sempre se deu bem em seu comercio. Tentou várias vêzes dizia-me que lá na linha do horizonte era o "fim do mundo", hoje estou usando esses termos mas na época ele definiu como *beirada do mundo" e isso na visão de uma criança aterrorizava, imagina se alguém bobeasse  e caísse. Naquelas comunidades rurais da década de sessenta os habitantes ainda vivíam numa ignorancia saudável, mal sabiam eles que do outro lado do planeta as nações já se destroçavam numa guerra sem fim. Mas o quero atentar é para o mistério que envolve a criação do Universo, imagine a grandeza do que pode ser isso.

Vamos pensar que tripulamos uma nave e viajaremos ás fronteiras do fim desse espaço azul ou mesmo negro que avistamos cheio de pontos brilhantes. É certo que chegaremos à algum lugar ou mesmo ao seu fim, podemos dizer assim, mas e depois desse fim o que haverá, pois tem que haver algo depois e depois e depois. No programa da Ana Maria Braga um estudioso no assunto respondeu que o Universo tinha fim, mas definiu o fim que nós conhecemos que é o que nossa visão pode alcançar. Explicou ele assim: Imaginemos que estamos numa ilha rodeada por água de todos os lados e então fixamos o olhar na linha do horizonte, o que conseguirmos enxergar isso seria o fim do Universo. O estudioso não explicou nada, pelo menos para mim. Refiro-me á algo mais profundo, falo do fantástico e tenebroso mistério que ninguém conseguiu ou conseguirá explicar. Aqui é onde a ciência esbarra na religião, pois ou admitimos que tudo isso está encerrado na sabedoria de um SER SUPREMO ou simplesmente ficaremos loucos fazendo bilú-bilú para a lua. E quão tôla é nossa pretensão de que esse infinito espaço foi feito só para encerrar o planeta Terra habitado dentre os  incontáveis corpos celestes?!


Outras perguntas que me faço é porque tudo isso foi criado?! Para quê?! Quem fêz tudo isso?!
Está vendo onde a ciência esbarra na religião?
Provavelmente vou morrer sem ter as respostas, e isso me dá medo! Resta-me o consolo de que estamos amparados pelas mãos do Supremo Criador neste infindável espaço sem explicação.