O CÉU NOS OBSERVA!

ENIGMAS UFOLÓGICOS


A campanha “UFOs: Liberdade de Informação Já”, criada em 2004 por ufólogos brasileiros, rendeu frutos e possibilitou depoimentos de militares sobre o assunto. O tenente-brigadeiro e ex-ministro da Aeronáutica Sócrates da Costa Monteiro, por exemplo, reconheceu publicamente que avistou objetos voadores não identificados.
as
 Editor da “Revista Ufo”, Gevaerd faz palestras em
 encontros internacionais sobre ufologia
.
O movimento pedia ao governo federal a abertura de arquivos militares, como a Operação Prato, de 1977, e a noite oficial dos UFOs no Brasil, de 1986.
O abaixo-assinado, organizados pela Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU), conquistou a abertura de aproximadamente 4 mil páginas de documentos públicos de interesse ufológico. As informações estão disponíveis no Arquivo Nacional do Rio e de Brasília.
Procurado pela Livraria da Folha, Ademar José Gevaerd, ex-professor de química e jornalista, relatou os avanços da ufologia nacional e a colaboração dos militares e do governo brasileiro sobre o assunto. Ouça a entrevista.
asdds
Imagem das marcas triangulares nas plantações de Ipuaçu,
 em Santa Catarina
Para Gevaerd, os círculos ingleses, também chamados de agroglifos, são os fenômenos ufológicos mais relevantes da atualidade.
O evento pode ser observado em diversos lugares da Europa, principalmente na Inglaterra. Contudo, os círculos começaram a surgir também no Brasil. As primeiras marcas sugiram em Ipuaçu, Santa Catarina. O ufólogo salientou a complexidade das formas, triângulos que se sobrepõe, demonstrando certa relação matemática.


Autor propõe que extraterrestres visitaram a Terra no passado
erw
Ao final da entrevista, Gevaerd explicou como escolher os melhores livros sobre o tema e a necessidade de filtrar as informações.
Além disso, comentou a importância de “Eram os Deuses Astronautas?”, primeiro sucesso editorial do gênero, escrito pelo suíço Erich Anton Paul von Däniken. Segundo ele, o título é o livro de cabeceira de todo ufólogo, e destaca o pioneirismo do autor. O volume apresenta a teoria que o planeta Terra foi visitado no passado por civilizações extraterrestres. Ouça os conselhos do ufólogo.
MINAS GERAIS
Da Canastra a Araxá: muito mistério no ar. Uma testemunha de fatos inusitados vividos na região de Araxá, no Triângulo Mineiro, nos descreve algumas de suas experiências que se estendem até a Serra da Canastra, no Centro-Oeste de Minas.

Pesquisa & investigação por Pepe CHAVES*

lkjklParte da região do Triângulo Mineiro (superior) e do Centro-Oeste (inferior)

PARTICULARIDADES - Sempre que nos envolvemos mais a fundo com a pesquisa de fatos insólitos e com a busca de respostas aos inúmeros e constantes fenômenos a que temos notícias, constatamos que mais distante parece estarmos de uma elucidação clara, objetiva e convincente acerca de tais fenômenos.
Já por alguns anos temos mantido contato com diversas áreas das disciplinas acadêmicas a que se dedicam – também – à Ufologia. Desde àquelas que constatam o fenômeno pelas “vias normais”, documentando, analisando e se apresentando sob á ótica científica, documental; técnica e pericial; àquela que vem de dentro dos “sonhos lúcidos” das testemunhas e das “vivências paralelas” tida pelo sujeito em estados semi ou consciente. Tais experiências se dão, quase sempre envolvendo potencialmente a psique humana, e assim, levando o sujeito a conviver com mais de um tipo de realidade – além daquela tida como convencional.
Numa correlação entre a Ufologia dita “Científica” com aquela a que é chamada comumente de “Mística”, “instintiva” ou “Esotérica”, podemos assegurar que há muita distinção entre ambas nos mais diversos aspectos. Mas, no entanto – como que paradoxalmente -, estamos reparando que à medida que sentimos dificultar estabelecer análises precisas de determinados fenômenos, a lacuna entre estes dois flancos opostos, tende a diminuir de alguma maneira. O científico se mistifica e o místico se cientifica. Pelo menos, seria isso o que justificaria os laços distantes e densos que permeiam estas duas perspectivas de se estudar os fenômenos ufológicos.
O intelecto e o sistema psíquico de cada indivíduo é algo peculiar e único na natureza: todos somos diferentes, em todos os aspectos. Cada pessoa tem um senso próprio de apurar seus gostos, um juízo, vontades, desejos, bem como também para interpretar, sentir, constatar discernir e traduzir, àquilo que se viu ou se sentiu de cada experiência pessoal que vivenciou, seja ela de qual natureza for. E, devido às suas particularidades pessoais (criadas a partir da base de sua vivência individual), cada indivíduo vê ao mesmo objeto enfocado de uma forma distinta e pessoal. O que pode ser descrito como um círculo por mim, pode ser descrito como sendo oval por você. E esta forma de ver, analisar e expressar pode, com toda certeza, vir a ter conotações completamente distintas a partir do ponto de vista e interpretação de cada pessoa.
‘Veremos que, às vezes, aquilo que separa o fator dito concreto do abstrato, são apenas meras e tênues linhas, algumas, até imaginárias – mas como que a trancar o portão da Realidade’
O fator psíquico individual ainda permanece como um grande mistério a ser desvendado pelas ciências humanas. E pode residir justamente aí, quase que a totalidade das fontes de emanações do fenômeno ufológico e demais manifestações “fora da ordem” da nossa realidade dimensional consciente. Cada aparelho psíquico individual, funciona como um cartão magnético, com seus respectivos e únicos códigos de identificação. E da nossa parte, como pesquisadores, investigadores e estudantes de tais questões, nos resta querer contribuir para com o conhecimento da questão – mesmo que não tenhamos formação acadêmica para intervir diretamente no assunto. E nossa forma de contribuição seria trazer essa modesta reportagem de alguns fatos reais de natureza duvidosa e colocá-los ao dispor daqueles que se interessam pelo desenvolvimento da pesquisa nesses campos.
E nesse caso que apresentamos a seguir, vamos ver ao desenrolar dos fatos, como o enfoque sai do “pé no chão”, do constatado e testemunhado e vai até às “viagens nas nuvens”, mostrando a face de legítimas vivências pessoais que podem estar relacionadas a pelo menos, duas realidades acerca de uma mesma questão. Veremos que, às vezes, aquilo que separa o fator dito concreto do abstrato, são apenas meras e tênues linhas, sendo algumas, até imaginárias – que funcionam como que querer a trancar os portões das Realidades.
ARAXÁ - Este material a seguir, trazendo três relatos distintos de uma mesma testemunha é ao nosso ver, algo de novo e grande a ser estudado na Ufologia brasileira. Este caso que apresentamos (cujo qual está sendo investigado e pesquisado por este autor e pela Dª Analígia Santos Francisco, médica psiquiatra e pesquisadora do Rio de Janeiro), mostra de uma perspectiva incisiva, questões já apresentadas dentro de parâmetros parecidos – é verdade –, configurados em alguns casos ocorridos em locais e épocas distintas do nosso mundo, alguns pesquisados, outros não. No entanto, este caso mineiro, reserva para si, detalhes únicos e precisos; localizados e muito bem descritos pela testemunha, os quais o torna um caso singular e muito original.
Ele não se atrela somente a uma cidade (epicentro das constatações), mas a toda uma macro-região rica em diversos minérios, a qual se encontra situada no estado de Minas Gerais, no Brasil, bem no seio das regiões geográficas estaduais conhecidas como Triângulo Mineiro e Centro-Oeste de Minas. O caso que começa em Araxá, na região do Triangulo Mineiro, termina na Serra da Canastra, no Centro-Oeste mineiro situada a 300km da cidade que se situa este autor, Itaúna.
qqq
 PAISAGEM DE ARAXÁ NA REGIÃO DA CBMM

É notório que a região da Canastra é famosa pelos avistamentos de Ovnis. O Parque Nacional da Serra da Canastra, que possui 715km² e foi fundado no ano de 1972, atualmente está sob responsabilidade administrativa do IBAMA, sendo considerado como área de preservação permanente (veja localização no mapa acima). À visitação são colocadas diversas regras visando a preservação da fauna e da flora local.
Cada uma dessas duas regiões mineiras (Triângulo e Centro-Oeste) possui dimensão territorial superior a alguns estados brasileiros e até de muitos países do mundo. Juntas, as regiões Centro-Oeste e do Triângulo Mineiro perfazem considerável fatia geográfica do estado mineiro.
São regiões onde minerais diversos são extraídos e alguns, industrializados ali mesmo; desde o rústico minério de ferro até metais compostos como o nióbio. São duas regiões que detêm grande parte dos altos-fornos, fundições, aciarias e indústrias de Usinagem do Estado, como é o caso da cidade de Itaúna, no Centro-Oeste, onde se encontra instalada a única Escola de Fundição com formação Superior da América Latina. Outras cidades do Centro-Oeste de Minas, como Divinópolis, São Sebastião do Paraíso e Formiga, mostram também, históricas vocações relativas à indústria metalúrgica. Devido a isso, uma parte do Oeste Mineiro é conhecida como a Zona Metalúrgica, da qual pertencem Itaúna e a vizinha Divinópolis.
Neste caso que veremos a seguir, descrito originalmente por seu próprio protagonista que nomearemos aqui provisoriamente de “Mário” (com o intuito de preservarmos a sua verdadeira pessoa veremos que poderá haver uma suposta relação de ‘metalúrgicos extraterrestres’, com as riquezas mineiras de do Estado de Minas. Ou, pelo menos, invenções terrestres secretas, capazes de pesquisar, sondar, verificar e quiçá, até extrair e transportar clandestinamente minerais que poderão ser usados para os mais diversos fins. Como preferem os conspiracionistas, poderia também, neste caso, transparecer a “parceria negra”, defendida por alguns e a qual garante um conchavo de determinadas entidades extraterrestres com determinados chefes de Estado ou líderes de potentes grupos econômicos que detêm extremos poderes capitalistas, a ponto de influenciarem até em governos nacionais de alguns países.
Aqui, Mário nos narra dentro de suas convicções e com tranqüilidade, presteza e – acreditamos, com honestidade – algumas de suas inusitadas experiências vividas na cidade de Araxá/MG, situada na região do Triângulo Mineiro e às voltas das instalações da extratora multinacional de minerais, a Companhia Brasileira de Mineração e Metalurgia – CBMM (http://www.cbmm.com.br/), que explora nióbio na região.
Preservaremos também, o nome real dos citados amigos da testemunha em seus relatos. Faremos alguns comentários e considerações ao longo de suas colocações e usaremos a letra “X” para omitir dados que julgamos por bem preservar.
A bem da verdade, por se tratar de uma pesquisa em andamento, abordando uma situação até então inédita, não temos como certificar aos que nos acessam, porquanto,  que tudo àquilo aqui colocado pela testemunha (nas partes entre aspas) seja autêntico, pois a pesquisa desse caso apenas começou.
No entanto,  dentro dos nossos limites e restrições, nos comprometemos a fazer todo o possível para continuarmos desenvolvendo pesquisas e análises esclarecedoras sobre as experiências e denúncias de Mário.

www                                                      INSTALAÇÕES DA CBMM EM ARAXÁ

Este autor juntamente com a Drª Analígia já fez uma primeira abordagem com a testemunha colhendo preciosos dados para o prosseguimento da pesquisa e mantendo um diálogo de quase duas horas com ela, que adiantou novos fatos, não expostos aqui. O que traremos a seguir é somente a parte inicial de um longo trabalho, o qual poderá vir a ter desfechos incríveis e de impactos imprevisíveis, em todos os aspectos possíveis. Ao nosso ver, é uma situação séria e coisas graves podem estar ocorrendo na cidade mineira de Araxá, ao que afirma a testemunha que lá reside: “aqui todos sabem dessas coisas estranhas, mas têm medo de falar sobre isso”. Segundo a testemunha, Araxá é a cidade brasileira que possui maior número de câncer por habitantes.
A testemunha nos disse também, in off, que tem informações de que diversos testes, experimentos e operações eletromagnéticas de alta potência são realizadas em determinados locais da cidade. Pesquisador e interessado em assuntos de natureza ufológica e outros de teores afins, a testemunha acredita que alguns desses experimentos tenham efeitos parecidos com os do chamado “projeto Haarp”.
Sobre o nióbio (saiba mais em matéria no final dessa matéria), nos disse que uma pedra que cabe na palma da mão pesa 1,5kg (mostrada na foto no final da matéria). Afirma ainda que esta pedra mostrada aqui foi objeto de sua experiência: a) tentou perfurá-la com uma broca, a broca quebrou; b) levou-a num esmeril, que teve o disco danificado pela dureza do metal. Em ambas as experiências garante que a pedra não sofreu nem um arranhão sequer.
‘Na região, nos últimos anos, estamos recebendo uma avalanche de fatos inexplicáveis como Ovnis e coisas do gênero, muitos eu fui testemunha ocular e auditiva. Tenho muita coisa para contar e para mostrar’ (Mário)
PRIMEIRO RELATO - O relato inicial nos chegou por e-mail e, editando algumas partes necessárias e omitindo algumas referências verídicas, o reproduzimos a seguir, seguido de outras abordagens que fizemos com a testemunha.
“Meu nome é Mário X, tenho X anos (entre 30/40) e sou X (profissão). Vivo em Araxá há X anos, pois sou X (naturalidade) e mudei para cá em busca de uma vida mais tranqüila”.
“Sou também ufólogo amador e gostaria de entrar em contato com alguém que estivesse interessado em ouvir alguns relatos vivenciados por mim sobre Ovnis e (pasmem) ‘portais do tempo’, pelo menos este é o nome que acho mais apropriado, porque não conheço um termo que possa ilustrar o fenômeno”.
“Há pouco mais de 1 km da minha casa, existe a mineradora CBMM, que produz metais microligados como Titânio Nióbio, Cromo Nióbio e o Tório”.
“Esta é a primeira vez que entro em contato com alguém do ramo ufológico, pois para dizer a verdade, não agüento mais ficar em silêncio, acho que se não falar com alguém sobre as coisas que vem ocorrendo aqui, ficarei louco”.
“Ocorre que na região, nos últimos anos, estamos recebendo uma avalanche de fatos inexplicáveis como Ovnis e coisas do gênero, muitos eu fui testemunha ocular e auditiva. Tenho muita coisa para contar e para mostrar”.
‘Ficamos espantados porque existia um grupo de militares do Exército usando uns aparelhos desconhecidos com fios saindo debaixo da terra e grandes geradores elétricos a diesel’
“Entre um dos muitos casos presenciados por mim, vou adiantar um: foi em uma noite de julho de 1997, (em síntese) avistamos uma ‘nave’ do tipo disco voador de dimensões gigantescas, a nave ficou sobre a cidade das 22h até à zero hora fazendo as mais estranhas evoluções e manobras, capazes de desafiar as leis da aerodinâmica. Em determinados momentos, o objeto mudava de cor,  às vezes apagava e ressurgia, mas quando pareceu atingir o ‘auge’, de dentro da ‘nave’  saíram aproximadamente umas 100 outras pequenas naves de forma esférica, de luz branca e muito brilhante. As esferas que, pelo meu conhecimento, posso insinuar como sendo sondas, desceram em rumo ao solo na direção da Serra da Canastra. Este avistamento foi testemunhado por mais de 50 pessoas em pontos diferentes da cidade. Alguns minutos antes da nave sumir, eu ouvi uma espécie de zumbido muito agudo, que parecia ser emitido de todos os lugares (do chão, do ar, das paredes da casa) era um som penetrante e inexplicável”.
“Ocorre que depois deste avistamento, nunca mais me senti bem de saúde, vivo com terríveis enxaquecas que duram até 20 dias, náuseas intermináveis, distúrbios do sono, zumbidos no ouvido e meu metabolismo mudou completamente. Não consigo mais dormir à noite, sinto muito calor e vivo com a sensação que alguém está dentro da minha casa, principalmente durante a madrugada”.
“Os fenômenos ocorrem somente de Junho até o começo de Setembro. Até minha esposa que é X (profissão a que é formada) e cética no assunto, vivenciou o que eu chamei de ‘portal do tempo’. Aqui perto existe a Montanha do Horizonte Perdido, que é usada como rampa de parapente, naquele local os avistamentos são tão comuns que os agricultores que vivem por lá, já se acostumaram com o fato, muita gente diz que estas naves têm alguma ligação misteriosa com a CBMM. Dizem que esta empresa mantém operações secretas com as forças armadas norte-americanas, para o segmento de ligas metálicas”.

dddd
 REGIÃO DO ‘HORIZONTE PERDIDO’

“Eu tenho um livro feito por eles (CBMM) mostrando peças do telescópio Hubble e de projetos altamente secretos feitos aqui em Araxá, tudo isso eu posso mostrar para quem quiser”.
“Você pode pensar que tudo isso pode se tratar de aeronaves secretas dos americanos, mas estão longe disso, porque exatamente acima de Araxá existe uma das principais rotas aéreas de aviação comercial em várias altitudes. Assim, qualquer aeronave é proibida de voar sobre a cidade para não interferir nesta rota”.
“Acredito também que estes avistamentos podem ser observados pelos pilotos comerciais que passam por cima de Araxá, porque quando vemos Ovnis, geralmente eles ficam parados bem ao lado da rota comercial e seria impossível que não chamem a atenção do radar, da cabine ou mesmo dos passageiros”.
“Sobre a questão do ‘portal do tempo’, ocorreu comigo e minha esposa em 1999 no Morro do Horizonte Perdido, saímos de lá às 15h e quando chegamos em casa notamos, espantados, que eram cerca de 17h30. O que aconteceu neste intervalo? E por que demoramos tanto para fazer um percurso de apenas 13 km? O percurso para nós foi normal, não vimos nada de estranho, geralmente esta distância percorremos em, no máximo, 20 minutos”.
“Tudo isso é verdade e  posso até ser submetido ao detector de mentiras ou hipnose para provar o que digo. Outras  pessoas que eu conheço passaram por situações semelhantes, até o deputado federal Aracely de Paula (morador de Araxá) que tem uma fazenda aqui perto (também cético) conta que foi seguido por uma nave por mais de vinte minutos na estrada de terra próxima ao Horizonte Perdido”.
‘Neste mesmo local há anos atrás, uma socialite da cidade desapareceu na frente de vários turistas como se tivesse se desmaterializado. Hoje a Rede Globo está fazendo um documentário na cidade sobre este caso…’
“Um dia eu e minha esposa fomos passar um fim-de-semana acampado na Serra da Canastra, ao lado da cachoeira de Cascadanta (nascente do Rio São Francisco, São Roque de Minas – Centro-Oeste mineiro) lá existem tantos fenômenos que qualquer pesquisador ficaria atônito. Quando chegamos lá, ficamos espantados porque existia um grupo de militares do Exército usando uns aparelhos desconhecidos com fios saindo debaixo da terra e grandes geradores elétricos a diesel”.
“Quando nos aproximamos eles cobriram tudo com lonas e falaram que estava fazendo treinamento de sobrevivência na selva. E o mais estranho é que a vegetação de lá é do tipo cerrado mineiro, vegetação rasteira e solo pedregoso, não tem nada do que treinar.  Pelos meus parcos conhecimentos de eletrônica, percebi que alguns daqueles aparelhos eram muito parecidos com bobinas de Tesla.  Neste mesmo local há anos atrás, uma socialite da cidade desapareceu na frente de vários turistas como se tivesse se desmaterializado. Hoje a Rede Globo está fazendo um documentário na cidade sobre este caso e foram trazidos investigadores dos Estados Unidos para estudar o caso e tudo indica que esta senhora foi tragada por alguma destas ‘deformações do tempo”.
“Tudo isso que estou dizendo eu posso provar com fatos concretos e com muitas testemunhas, se alguns de vocês quiserem vir até aqui terei o maior prazer de levá-los pessoalmente em todos os lugares até mesmo na CBMM, pois sou autorizado a  entrar lá”.
“Logo depois que eu e minha esposa vivenciamos o caso do atraso no percurso do Horizonte Perdido, conforme dito acima, recebi a visita de um sujeito muito estranho, que se apresentou apenas pelo nome de X (preservado). O homem alto, de barba preta e de aproximadamente 38 anos, parecia não ter emoção nenhuma. Ele não ria, não expressava alegria nem raiva, era calmo e falava baixo pausadamente. Não sei como ele soube das minhas histórias, porque eu não conto para ninguém. Ele pediu para que eu o levasse até alguns lugares misteriosos e pediu para eu relatar as coisas que aconteceram comigo. Aceitei seu pedido e inclusive, apresentei-o a algumas pessoas que também tiveram contatos diretos com Ovnis. Feito isso, ele me falou que eu poderia ter, não um, mas vários implantes em meu corpo e que alguma civilização alienígena estaria em contato direto comigo. No começo achei isso absurdo, mas hoje acredito que ele possa estar certo. Depois deste dia, nunca mais vi o sujeito”.
“Vivenciei outros casos ainda mais espetaculares que os descritos acima, mas estes, só poderei contar pessoalmente. Inclusive conheço uma família da cidade de Campos Altos, pessoas cultas da maior idoneidade, que têm contatos com Ovnis todos os anos. Poderemos ir até Campos Altos para que eles contem”.
“Estas coisas podem parecer loucuras, mas tudo está aberto para quem quiser enxergar, do jeito que as coisas andam, acho que Araxá e os arredores vão se tornar nos locais mais importantes do cenário ufológico mundial, desde que, estudados pelas pessoas certas”.
‘Uma Conta de Participação nos Lucros entre a estatal CODEMIG e a CBMM garante a exploração racional do depósito de nióbio localizado próximo à cidade de Araxá, em Minas Gerais’ (site CBMM)

COMENTÁRIOS DO 1º RELATO - Esta foi a primeira mensagem que recebi de Mário e que me causou muito espanto, por sua boa narrativa (já que, soube depois, sua profissão lhe proporciona este detalhe) e pelo bom senso que detém, ao se relacionar com tais fenômenos de forma tão consciente e lúcida.
A partir daqui, Mário começa a “decolar” e a sugerir aquilo que se encontra do outro lado dessa experiência que, como poderemos ver, caminha, desde os seus avistamentos iniciais em Araxá – supostamente relacionados com a presença da empresa multinacional CBMM (Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração) que produz metais nobres em Araxá – até abalo de saúde, vivências oníricas, revelações e experiências extra-corporais bastante peculiares. Quanto à relação das supostas naves avistadas com as atividades da CBMM em Araxá, devemos reconhecer que, casos desse tipo foram também relatados por testemunhas e alguns até registrados em outras regiões onde havia atividades de extração mineral no Brasil e em outras regiões do globo.

Sendo o nióbio um mineral raro e sendo Araxá um dos poucos locais no mundo onde há sua extração, pode-se supor que seja evidente a constatação de objetos inusitados na região, em atividades e com intenções desconhecidas.
Encontramos algumas informações sobre a CBMM, extraídas de seu próprio site na Internet, dando conta das atividades da empresa em Araxá e aqui transcrevemos, como segue: “Fundada em 1955, a CBMM – Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração, é uma empresa privada dedicada a extração, processamento, fabricação e comercialização de produtos a base de niobium. Uma Conta de Participação nos Lucros entre a estatal CODEMIG e a CBMM garante a exploração racional do depósito de nióbio localizado próximo à cidade de Araxá, em Minas Gerais. O contrato concede 25% de participação nos lucros operacionais da CBMM, ao Governo do Estado de Minas Gerais. Desde 1961, a CBMM extraiu 15,5 milhões de toneladas do minério dessas reservas, com uma taxa média anual de 800.000 toneladas. CBMM é a única produtora de nióbio com presença em todos os segmentos de mercado. Com subsidiárias na Europa, a Niobium Products Company GmbH (Dusseldorf), na América do Norte, a Reference Metals Company Inc. (Pittsburgh), e na Ásia – a CBMM Ásia Co. Ltd (Tóquio), a CBMM também está presente junto aos consumidores”.
A testemunha nos descreve ainda, a seguir, com detalhes, o avistamento revelado anteriormente, ocorrido em 1997 e que garante configurar-se em uma “nave expelindo sondas” na região da CBMM. Tudo foi presenciado por no mínimo três pessoas, além ainda dos seguranças da CBMM.
‘Um jornal de Uberaba noticiou que o ônibus de estudantes que ia de Uberaba para Araxá foi perseguido por mais de 30 minutos por um Ufo bem ao lado, sem emitir o menor ruído, mas com muitas luzes’

SEGUNDO RELATO - Após retornarmos o seu primeiro contato, enviamos à testemunha várias perguntas (as quais ele nos respondeu prontamente, abaixo). Ainda assim, Mário nos enviou outra incrível mensagem, relatando e denunciando outros fatos inusitados. Começaremos pelo avistamento da nave expelindo sondas, conforme segue.
“Olá, Pepe. Obrigado por sua atenção. Estou enviando-lhe em anexo um arquivo contendo mais detalhes do caso e principalmente o relato de um outro caso ocorrido comigo que, para mim trata-se do mais importante de todos” [N.E.: transcritos a seguir].
“Fiquei feliz em saber que você se interessou pelo meu caso. Dou autorização para você publicar o meu texto da forma que achar melhor, desta forma vou te passar mais algumas informações para complementar alguns casos que narrei, pois meu texto anterior era basicamente uma versão resumida”.
“Sobre o avistamento em 1997, da grande nave com as sondas saindo de dentro: Quando vim morar em Araxá fiquei os primeiros 3 meses morando na casa do meu amigo Marcelo Macedo (nome fictício), profissão X e piloto de parapente. Ele tinha acabado de comprar uma casa na rua X perto do centro da cidade e estava morando sozinho, porque tinha separado da mulher. Eu e o Marcelo somos voluntários na obra assistencial ‘Casa do Caminho de Araxá’ e nas quartas e sábados das 20 às 21h, participamos de um trabalho de passes magnéticos junto com os pacientes da Casa do Caminho”.
“Quando foi um sábado de Julho de 1997, eram aproximadamente 21h30, chegamos em casa. O Marcelo entrou primeiro e eu fiquei para fechar o portão da garagem subterrânea de sua casa, o céu estava muito limpo e estrelado, quando olhei para cima, vi uma potente luz em forma oval. Sai correndo e chamei o Marcelo para ver também, mas quando ele voltou, a luz não estava mais lá”.
“Na quarta-feira seguinte repetimos nosso itinerário com os mesmos horários, chegamos em casa por volta das 21h30, o céu também estava limpo e bonito. Pensando no avistamento mal sucedido do sábado anterior, fiquei no quintal da casa olhando para o céu. Quando foi 22h, a potente luz apareceu no céu como que surgida do nada, ela simplesmente acendeu como uma lâmpada. Chamei o Marcelo que ficou impressionado com o objeto. Ficamos vários minutos como que hipnotizados diante ao estranho fato. O Marcelo que possui muitos equipamentos de vôo livre, rapidamente buscou uma forte lanterna de foco concentrado e passou a piscá-la aleatoriamente para o objeto, em busca de um possível contato. Por incrível que pareça, o objeto parece que assimilou a luz da lanterna, pois começou a mudar de cor lentamente até atingir mudança de velocidade frenética. As suas luzes iam de um branco forte, passando pelo laranja, vermelho, verde e azul e, às vezes, emitia raios ao seu redor como se fosse uma aura”.
“Quando eram cerca de 22h45 o objeto passou a fazer movimentos de pêndulo para direita e esquerda e assumir um comportamento de ‘êxtase’. Repentinamente, o objeto ficou estático e voltou a mudar de cores, de repente, para nosso assombro, ele simplesmente apagou, mas foi um apagamento diferente das lâmpadas elétricas onde podemos ver mesmo rapidamente, o filamento aquecido reduzir a intensidade até escurecer. O apagamento da nave foi imediato, mais rápido que o flash de uma máquina fotográfica. Depois de uns 5 minutos o objeto acendeu na mesma velocidade que apagou. Ele fez uma trajetória por cima da cidade, parou algumas vezes, fez movimentos pendulares, mudou de cor e voltou para o lugar onde estava desde o começo. Eu falei para o Marcelo que aquele Ovni era o mesmo que eu tinha visto na noite do sábado anterior”.
‘Para nosso assombro, de dentro da nave saíram mais de 100 esferas brancas, que faziam uma espiral e desciam até o solo na direção da CBMM’.
“O Marcelo estava muito impressionado e quando eram cerca de 23h15 começamos a sentir uma sensação esquisita e inexplicável. Eu comecei a sentir zumbidos no ouvido, muito fortes, que estavam me deixando tonto e um pouco nauseado. O Marcelo continuava a piscar a lanterna, que já estava ficando com a pilha fraca. Neste instante ele lembrou que tinha uma filmadora, ele correu trouxe a máquina e passou a filmar o objeto em suas muitas evoluções cinéticas e cromáticas”. “Foi nesta hora que o objeto parou e se ‘tranquilizou’. O Marcelo saiu correndo, pegou o carro e foi até a rua de trás para buscar a mãe dele, para também presenciar o fenômeno. A mãe dele chegou (a mulher era cética e não acreditava nestas coisas) e ficou observando calada. Nesta hora, para nosso assombro, de dentro da nave saíram mais de 100 esferas brancas, que faziam uma espiral e desciam até o solo na direção da CBMM, naquela área existe uma extensa floresta que vai até próximo a Serra da Canastra”.
98
RECONSTITUIÇÃO  DO OBJETO SOLTANDO  ESFERAS, SEGUNDO NARRAÇÃO DA TESTEMUNHA.
“O mais estranho era que eu estava tendo sensações que não consigo explicar em palavras, um misto de medo, alegria e uma certa vibração dentro do meu tórax (igual àquela produzida por ondas de sons graves das caixas acústicas). O Marcelo sugeriu que fossemos de carro para mais próximo do Ovni. Fizemos isto, eu, ele e sua mãe fomos até a portaria traseira da CBMM. Quando chegamos lá, o objeto apagou e não apareceu mais. Os guardas da portaria falaram que também viram o objeto e também nos contaram sobre outros avistamentos dias atrás”.
“O objeto que avistamos não dava para calcular seu tamanho real, porque às vezes ele parecia ficar translúcido e com uma aura ao redor que dava a impressão de aumentar suas dimensões. O que também me chamou a atenção foi que os aviões comerciais que passavam pela rota sobre Araxá, passaram muito próximos à nave, provavelmente os pilotos também viram”.
‘Depois de muito pesquisar eu acredito que isto tenha a ver com o avistamento. Daquele dia em diante minha saúde física foi por água abaixo’
“Ocorre que uma semana depois, eu estava dormindo no meu quarto, na casa do Marcelo, a cama ficava encostada à parede paralela a porta do quarto. Eu estava deitado de lado com o rosto voltado para a parede, a luz estava apagada e a porta trancada por dentro. Não sei porque, despertei e abri os olhos, cocei a cabeça com o braço direito, mas em menos de um segundo fiquei aterrorizado, senti uma incrível força descomunal agarrar-me pelas costas e tampar a minha boca, tentei gritar e me debater mas estava totalmente paralisado, senti o maior pânico da minha vida, já fui assaltado e sofri na minha cidade, o tal ‘seqüestro relâmpago’, mas nunca senti tanto pavor como naquele momento. Eu ‘apaguei’ e não me lembro mais de nada. Na manhã seguinte a porta continuava trancada por dentro”.
“Depois de muito pesquisar eu acredito que isto tenha a ver com o avistamento. Daquele dia em diante minha saúde física foi ‘por água abaixo’. Alguns dias depois, um jornal de Uberaba noticiou que o ônibus de estudantes que ia de Uberaba para Araxá foi perseguido por mais de 30 minutos por um Ufo bem ao lado, sem emitir o menor ruído, mas com muitas luzes. Eu tinha este jornal guardado, mas perdi durante a mudança de minha residência”.
“Não sei se é coincidência ou não, mas um ano depois de ocorridos outros casos com Ufos nas regiões de Araxá, um brigadeiro da Força Aérea Brasileira se mudou para cá, ele é piloto. Trata-se de uma pessoa muito austera (…) e até hoje ele mora em X (local da cidade). As pessoas dizem que ele sai muito de madrugada, carregando uma maleta e vai, ninguém sabe para onde… Alguns vizinhos dizem que ele é ‘macumbeiro’ e lida com magia negra, mas acho isso pouco provável porque ele  tem formação científica e acho quase impossível que uma pessoa com este perfil seja adepto de rituais deste tipo. Após isso houve outros casos comigo, que aos poucos vou relatar para você”.
‘Demoraram, mas perceberam que aquela incrível máquina voadora parecia querer ser filmada’

COMENTÁRIOS DO 2º RELATO - Como vimos, Mário tem um excepcional discernimento dos fenômenos que ocorrem à sua volta, mantendo-se em controle e dentro de uma certa normalidade comportamental. Analisemos: iniciado com uma manifestação luminosa “particular”, na casa de seu amigo Marcelo, o fenômeno saltou, uma semana depois, para os olhos de mais duas testemunhas: o amigo e a mãe desse.
Naquela ocasião, eles puderam observar as incríveis peripécias do dito objeto luminoso no céu, como se a lhes dizer insistentemente: ‘o que estão esperando? Porque não vão logo buscar a filmadora e me registrar?’. Demoraram, mas perceberam que aquela incrível máquina voadora parecia querer ser filmada, tanto que esperou Marcelo buscar sua câmera e, após isso, se “tranqüilizou” – usando a palavra da testemunha.
Ao investigarmos casos como este, devemos estar cientes de possíveis conseqüências que possam recair sobre nossa pessoa (e dos demais pesquisadores envolvidos no mesmo), possivelmente, advindas de razoes escusas de projetos secretos ou piratas, criados e desenvolvidos por organizações, interesses nacionais e/ou mandatários do “Poder”. Inclusive, podem recair pesadamente em cima da testemunha ocular e delatora, devido, mormente, ao fato da notoriedade pública diante desse tipo de pesquisa. Contudo, nos disponibilizamos a seguir nosso plano de ir atrás de mais informações – independente de quem venha contra nossa intenção – sobre aquilo o que está por detrás destes acontecimentos e de diversos outros, narrados in off pela testemunha, que não constam nessa matéria. Assinalamos ainda que outros detalhes complementares ao exposto aqui, nos foram narrados posteriormente à composição dessa matéria e estão sendo imprescindíveis para melhor dirimirmos a verdade sobre os fatos ao longo dessa pesquisa – que não termina com essa matéria, mas apenas começa – e que poderá mais tarde vir à baila.
‘Eu me sentia muito bem e confiante, sentia segurança neles, ao contrário do avistamento de 1997, que senti medo e angústia’

TERCEIRO RELATO - Desprendendo-se do campo tridimensional (ou mundano), a testemunha nos narra a seguir, um outro caso, ainda ligado às suas insólitas experiências em Araxá. Segundo ele, a experiência ocorreu em Setembro de 2003, sendo bastante pessoal e não se trata de um avistamento, mas pela estranheza do fato, a testemunha achou por bem apontá-lo, como segue.
“Depois do avistamento de 1997 passei a sofrer do ‘sonho lúcido’  (conforme o filme Vanila Sky, com Tom Cruise)  ou do ‘desdobramento’ como dizem os espíritas.  São ‘sonhos’ no qual eu tenho total consciência no momento. Converso com pessoas, dou idéias e observo as coisas nos mínimos detalhes, como se estivesse acordado. ‘Nesse momento, eu tenho consciência de que meu corpo está dormindo na cama, mas por mais que tento acordar não consigo, parece que alguma entidade controla o tempo de minha permanência ‘no outro lado’”.


“Em Setembro de 2003 estava morando na casa do meu pai no bairro Dona Beja, em Araxá, (eu me casei em outubro de 2004), meu quarto era grande, do tipo suíte com uma ante-sala que os franceses chamam de budoir. Conheci minha esposa em Janeiro de 1997 e naquela noite de 2003 ela estava dormindo comigo em meu quarto. Tudo estava normal. Deitei e rapidamente peguei no sono, mas em determinado momento, despertei dentro de uma nave do tipo disco, ela era circular, um pouco oval e as paredes internas eram brancas como se fossem de acrílico leitoso. Havia painéis de controle diferentes dos aviões. Não havia barulho ou vibração que denunciasse algum tipo de motor elétrico ou à combustão. O espaço interno era de aproximadamente 5 metros de diâmetro e do teto ovalado até o chão havia cerca de 2,5 metros”.
“Dentro, existiam outras quatro pessoas como eu. Os tripulantes da nave eram seres parecidos conosco, humanos, só que de cabelos lisos e com uma bondade no rosto como eu nunca vi igual. Existiam cerca de 3 tripulantes que nada falavam, apenas um deles parecia ser o chefe. Eu me sentia muito bem e confiante, sentia segurança neles, ao contrário do avistamento de 1997, que senti medo e angústia”.
‘Pude notar que neste planeta não havia montanhas ou depressões, era praticamente tudo em planícies, não vi rios tampouco oceanos, somente o solo arenoso ao redor da grande cidade’
“A nave desacelerou e ficou em baixa velocidade, para nossa surpresa uma janela surgiu na parede branca mostrando o que havia no exterior. Para minha surpresa a nave estava sobrevoando um planeta parecido com a Terra, só que menor, pois mesmo a baixa altitude dava para ver a curvatura do planeta. Fiquei espantado porque no solo havia uma cidade, diferente das que existem em nossa Terra. Havia edifícios de no máximo 2 andares com uma arquitetura semelhante àqueles templos que existem na Tailândia e na Índia. Tinha várias casas com telhado pontiagudo, tipo torre e algumas tinham torres que lembravam o estilo arquitetônico russo. As paredes eram todas escuras da cor do bronze envelhecido e não eram de tijolos, parecia uma massa do tipo argila, mas com um certo brilho metálico. As ruas tinham árvores e o chão era feito do mesmo material das casas, não tinha via pública para trânsito de carros, eram tipo calçadões, apenas para andar a pé”.
“O céu era azul como a Terra,  e pude notar que neste planeta não havia montanhas ou depressões, era praticamente tudo em planícies, não vi rios tampouco oceanos, somente o solo arenoso ao redor da grande cidade, que pelos meus cálculos tinha o tamanho de Uberaba. Apesar da estranheza do local, tudo era bonito e transmitia paz de espírito. Os tetos das casas e dos pequenos edifícios eram dourados e alguns eram de um azul bem claro como o céu. Não havia pessoas, tudo estava deserto”.
“Fiquei calado e pensando porque eles estariam me mostrando aquilo tudo. Como que lendo meu pensamento, o chefe da tripulação bondosamente explicou nas seguintes palavras, que até hoje não saem da minha cabeça e todos os dias eu penso nisso: ‘estão vendo? Este planeta que estamos sobrevoando tem as mesmas condições físicas da Terra, nossa civilização há cerca de trinta anos terrestres vem construindo esta cidade. Nós somos auxiliados por um grupo de terráqueos que hoje vivem aqui e foram retirados da Terra através de desaparecimentos no local que vocês chamam de Triângulo das Bermudas. Eles vivem felizes, porque no inconsciente deles, têm conexões com nosso povo há muitos séculos’”.
“O chefe da tripulação continuou: este planeta fica a 70 anos-luz da Terra e esta cidade foi construída para abrigar milhares de terráqueos que serão transferidos para cá, porque o planeta Terra vai passar por modificações enormes e grande parte da humanidade será aniquilada. Aqueles que têm ligações espirituais conosco serão trazidos para cá. Muitos poderão ficar aqui por tempo indeterminado, outros poderão voltar para a Terra depois de várias décadas, até que seu planeta esteja novamente em condições de abrigar estes ‘exilados’. Nós somos gratos com muitos terráqueos porque eles nos ajudam a desenvolver nossas pesquisas de forma inconsciente e estas pessoas são escolhidas porque possuem uma vibração astral mais apurada e tem o senso moral mais desenvolvido, pois abrigam dentro de si, a chama universal da fraternidade’”.
“Depois disso a nave saiu da atmosfera do planeta e eu senti um choque elétrico e despertei na minha cama. Olhei no relógio e tinham se passado apenas 3 horas desde a hora que eu fui dormir. Confesso que despertei profundamente abalado e emocionado, fui na cozinha peguei um copo de água e fui para o quintal. Fiquei olhando para o céu estrelado em busca de algum sinal, mas nada vi além do normal. Tentei recordar o nome do planeta, mas acredito que o tripulante da nave não disse ou apenas ficou registrado na minha mente enquanto estive ‘apagado’  durante a viagem, pois só estive ‘desperto’ quando a nave já estava na atmosfera do planeta. Provavelmente, algo ocorreu neste meio tempo, mas não lembro de nada”.
“Há um outro caso estranho, à parte. O que se vê nesta foto (ao lado) parece um cristal de quartzo lapidado (para dizer a verdade não sei se é cristal ou vidro, algumas pessoas disseram ser cristal). Me ocorreu o seguinte: uma noite tive um forte desdobramento espiritual e me vi sob um belo Ufo, neste desdobramento eu estava no quintal da casa do meu pai e logo após, acordei. Quando despertei, estava com uma intuição que me dizia para seguir pela trilha da cascatinha (uma trilha no meio do mato atrás da CBMM), em certo momento existe um túnel onde por cima passam os caminhões da mineração”.
“Para o meu espanto, encontrei no chão este cristal lá. É estranho que lá não existe ‘viva alma’ que ande a pé naqueles arredores. Peguei o cristal e guardei-o comigo até hoje. Penso que alguém especializado em energia telúrica possa um dia examiná-lo”.

oi
‘Este seu relato final se mostra próximo de situações reveladas por contados de todas as partes do mundo, que dissertam acerca de cataclismos e uma caótica transformação a que a Terra deverá passar’
COMENTÁRIOS DO 3º RELATO - Esta experiência pode ser tratada como ‘não científica’ ou como uma simples alucinação, sonho ou ainda, como efeito de algum tipo de insanidade fisiológica, mas não deixa de ter, de certa forma, alguma integração com os fenômenos relatados anteriormente pela testemunha – como ela acredita. O talsonho lúcido poderia se tratar de uma espécie de revelação sobre a natureza dos supostos ‘seres’ que estariam agindo em Araxá e já presenciados por Mário, e por que não dizer, que já haviam feito contato com ele, de alguma forma, cartesianamente – ou não!
Este seu relato final se mostra próximo de situações reveladas por contados de todas as partes do mundo, que dissertam acerca de cataclismos e uma caótica transformação a que a Terra deverá passar, segundo eles, “em breve”. Ao que tudo indica, tais transformações planetárias se tratariam de eventos climáticos e geológicos de proporções globais. A descrição narrativa de sua viagem dentro de uma nave até um outro mundo, também pode ser associada a diversas outras narrativas conhecidas do repertório ufológico de mesmo teor. Viajantes terrestres em naves extraterrestres, genericamente, contam que foram levados a mundos onde casas e prédios são de formas diferentes daquelas convencionais terrestres, cujo sistema social de tais mundos, se encontra de formas racional e organizada, diferindo bastante do atual terrestre (injusto à maioria e desproporcional).
Mário alega que após o contato de 1997, passou a ter os chamados “sonhos lúcidos”. Seria interessante se ele fosse submetido à hipnose regressiva, também para abordarmos, de fato, o que ele vivenciou em supostos “tempos perdidos”, como cita, quiçá, se poderá ter tido de fato, um efetivo contato com os tais ‘seres’ ou mesmo, um contato fisiológico com alguma fonte de energia desconhecida ou irradiação nociva que poderia ter incidido sobre seu corpo.
Esta hipótese, se comprovada, poderia justificar a fragilidade de sua saúde – a qual alega recaída – justamente, após o avistamento de 1997.
jdjd
 SONHOS LÚCIDOS: VIVÊNCIAS DE REALIDADES PARALELAS
Em mensagem posterior, Mário afirmou também para nós, que acredita ter recebido implantes extraterrestres em seu corpo e diz suspeitar disso há algum tempo. Afirma que em breve terá condições de fazer Raio X de partes do seu corpo. Cita também, um segundo amigo que possui na cidade, o qual tem diversas experiências com tais fenômenos, afirmando que poderá me apresentá-lo e sugeriu de eu investigá-lo também. Segundo ele, este seu amigo viveu histórias que dariam para escrever um livro e que “ele vive em silêncio e leva uma vida normal, mas acredito que ele também deve ter sido abduzido e quem sabe recebeu implantes”, afirmou.

Segue breve entrevista com a testemunha.

UFOVIA: Gostaria que descrevesse a freqüência com que se dão os fenômenos relatados.
Mário: Os fenômenos de avistamento são comuns de Junho até inicio de Setembro, sempre à noite, mas acredito que durante o dia também ocorrem. Na época de Julho e começo de Agosto pode-se ver coisas estranhas quase que todas as noites, em regiões variadas, mas a maioria se dá na região do Horizonte Perdido, Morro do Búfalo, CBMM, Campos Altos e na direção da Serra da Canastra.  Acho que seria interessante usar um sistema de visualização de infra-vermelho (tipo o FLIR System), porque acho que muitas naves se fazem invisíveis durante o dia. Fenômenos de buraco no tempo, também ocorrem no Horizonte Perdido, mais na parte de baixo do morro, onde existe um paredão de rocha sólida de uns de 300 metros de altura. Na Serra da Canastra também.

UFOVIA: Gostaria que descrevesse os movimentos e rumos tomados por aquelas ‘sondas’ que o Senhor diz ter saído do objeto maior, presenciado por seu amigo e sua mãe.
Mário: Elas saíram pela parte direita da grande nave esférica (à direita pelo meu angulo de visão). Elas saíram em intervalos de 3 segundos entre cada uma delas. Todas faziam um único giro espiral e desciam para o solo na direção da CBMM/Serra da Canastra. No local onde desceram existe uma extensa floresta.
UFOVIA: A perda de tempo que o Senhor e sua esposa sofreram deve ser melhor investigada. Para isso, o ideal seria realizar hipnose regressiva com profissional credenciado. O senhor se submeteria à hipnose para que possamos analisar esta e outras questões de sua experiência?
Mário: Posso fazer a hipnose sem problemas, apesar de achar que não consigo ser induzido a este estado, mas também nunca tentei. No fundo tenho um pouco de medo, porque temo ficar preso “no outro lado” ou revelar coisas muito mais impressionantes do que eu imagino.

UFOVIA: Estivemos por vezes acampados em Cascadanta e soubemos de outros casos, ocorridos na Canastra. Para o Senhor, o que poderia haver de interessante para que estes objetos se dirijam àquela região?
Mário: Dizem que o poço da queda d’água da cachoeira de Cascadanta foi explorado por mergulhadores militares e constatou-se ser tão fundo, que nem mesmo aparelhos conseguiram detectar sua profundidade. De fato existe algum mistério naquele local, meu vizinho X (ex-oficial da USAF) disse que os astronautas que vivem na estação espacial fotografaram várias vezes uma certa fosforescência na região da Serra da Canastra. Eles não sabem ao certo que tipo de energia é esta, que só pode ser vista a grandes altitudes. Este meu vizinho é também outro grande enigma…
kj
O MISTERIOSO POÇO DA CACHOEIRA CASCADANTA
UFOVIA: É importante entender que, acreditamos, estamos sendo visitados por diversas espécies de raças humanóides, provindas, não se sabe de onde. O Senhor pode ter presenciado naves de várias espécies destas, ou mesmo de apenas uma, ou ainda, naves terrestres (por mais que se afirme o contrário, não podemos, neste tipo de investigação, descartar também esta possibilidade).
Mário: Concordo com você, nos vários casos que presenciei, senti energias diferentes, que me passaram a sensação de bem estar e mal estar. Acho que cada ser interplanetário tem uma missão diferente e suas mentes vibram em freqüências diversas também. Acredito que existam naves que podem viajar no tempo e quem sabe, algumas delas, podem até vir do futuro da Terra.

UFOVIA: Em quais ocasiões os fenômenos puderam ser registrados?
Mário: O Marcelo que estava comigo em 1997 filmou durante vários minutos, mas a imagem não ficou boa, a câmera dele não tinha recurso nenhum, mas dava para reconhecer a nave luminosa e seus movimentos, não sei se ele ainda tem a fita. No outro dia, após o avistamento de 1997, correu um boato na cidade de que o prefeito de Ibiá gravou o avistamento com um equipamento profissional e vendeu a fita para a Rede Globo.

UFOVIA: Já estamos investigando seu caso e gostaria que nos deixasse suas considerações finais:
Mário: É muito estanho, não sei explicar porque, mas nos últimos 2 anos passei a ter muito desejo de olhar oscrop-circles ingleses, sinto que tem algo haver. Fico horas olhando sites com este tipo de material como owww.cropcircleconnector.com  e o home.clara.net\lucypringle. Nos últimos 6 meses sinto uma grande intuição para ir pessoalmente até a Serra do Roncador, no Mato Grosso. Para te dizer a verdade nunca tinha ouvido falar de lá, uma espécie de intuição e voz dentro da cabeça me fez pesquisar sobre este lugar e fiquei espantando que lá existem muitos fenômenos relacionados.

‘É uma espécie de respeito e medo pelo desconhecido, pois o poço, me pareceu algo mágico, grandioso, milenar, parecendo haver alguma espécie de vibração ali’

SERRA DA CANASTRA - O Parque Nacional da Serrada Canastra, onde nasce o rio São Francisco em Minas Gerais, é um local de rara beleza natural. A qualidade da água naquela extensão do rio é excepcional, sendo a mais límpida possível, pois que tem contato somente com rochas, desde a nascente.

A queda da cachoeira Cascadanta – onde se situa o dito poço – tem cerca de 200 metros de queda livre e quando lá estivemos, exploramos o local por completo, desde centenas de metros abaixo da grande queda, como o seu cume (após mais de 2h de caminhada por trilha, serra acima). Na sua parte superior, antes da grande queda, constatamos outras belas e menores cachoeiras, além de diversos poços pequenos bem próximos à nascente principal, além de estreitos cannyons que antecedem a grande queda.

POÇO DA CASCADANTA - Devo assinalar aqui, uma impressão pessoal que tive sobre o citado poço: das oito vezes que estive acampando naquele local, entrei no majestoso poço da cachoeira Cascadanta por uma única vez.

Alguns amigos ficaram com medo de entrar no poço e confesso, senti algo estranho ali, do qual não sei, de fato, descrever aqui. É uma espécie de respeito e medo pelo desconhecido, pois o poço, me pareceu algo mágico, grandioso, milenar, parecendo haver alguma espécie de vibração ali.

lkjg
CACHOEIRA CASCADANTA: 200 METROS DE QUEDA

Quando lá estive, ele deveria ter cerca de uns 50m de diâmetro (sua extensão varia com a quantidade da água que desce da serra durante cada época do ano). O poço da Cascadanta é cheio de pedras disformes em torno de si, as quais dificulta e inibe a entrada de qualquer pessoa. Mesmo sabendo nadar razoavelmente bem e já ter passado por diversas “aventuras” em locais desse tipo, não tive coragem, naquele instante, de bater braços até o meio do poço ou atravessá-lo a nado e me postei apenas em suas bordas – há poucos passos da borda a água já me encobria.
DIAMANTES DA CANASTRA - A região da Serra da Canastra (que tem este nome por parecer uma grande caixa: canastra), além de preservar grande parte da fauna e da flora do cerrado mineiro, é também local notório de exploração de diamantes, desde muitas décadas até a atualidade. Em algumas vezes que visitamos o parque, constatamos, há poucas centenas de metros abaixo da grande queda, a existência de algumas dragas que exploravam o leito do rio em garimpo e que ali mesmo, já turvavam a água com mercúrio, causando uma intensa e visível poluição no leito. É comum se encontrar ribeirinhos vendendo pequenas pedras de diamante nos acampamentos que existem na região do parque que, geralmente, nos finais de semana, ficam repletos de turistas, sendo a maioria, vinda dos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo.
Finalizando esta extensa matéria que se inicia em Araxá no Triângulo Mineiro e termina no Parque Nacional da Serra da Canastra, na divisa dos municípios de Vargem Bonita e São Roque de Minas, na região Centro-Oeste mineira, vale lembrar também que esta rica região do parque, durante mais de dois anos do governo do Estado de Newton Cardoso (década de 90) foi fechada aos turistas pelo IBAMA. Naquela época, tal medida foi severamente exercida pelo Governo do Estado, sob o pretexto de reflorestamento na área de preservação nacional. De fato, as queimadas são comuns naquela região serrana em épocas de seca e por vezes lesaram as matas do parque. Porém, quando isso se deu, correram também boatos de que pesquisas e explorações de minerais estavam sendo feitas naquele local.
Após mais de dois anos completamente fechado ao turismo, o Parque Nacional da Serra da Canastra foi reaberto e oficialmente institucionalizado, pelo então presidente da República Fernando Henrique Cardoso e seu Ministro do Meio Ambiente, Raul Jungmann, que lá estiveram em 1998, inaugurando algumas benfeitorias criadas aos freqüentadores do parque.
CRÉDITOS DA MATÉRIA PARA AS REFERENCIAS ABAIXO:

http://sergiorochareporter.com.br/
Pepe Chaves é editor do jornal Via Fanzine e webmaster de UFOVIA .
 Fonte:  advivo.com.br
 Matérias relacionadas ao tema:
http://sergiorochareporter.com.br/o-relato-de-chico-xavier-sobre-a-existencia-de-discos-voadores/
http://sergiorochareporter.com.br/as-pesquisas-do-vaticano-sobre-extraterrestres-e-as-profecias-dos-112-papas/