sexta-feira, 30 de novembro de 2012

PANE ELÉTRICA: O FANTASMA DA 452



Naquela noite quando retornávamos de uma viagem á minha terra natal eu não contava com tão sinistro acontecimento. Viajávamos num passat modelo alemão bem conservado e modéstia a parte, o veículo nunca  me dera problemas até aquele dia. No interior do veículo, além de mim que dirigia o carro é claro, estavam minha esposa e dois dos meus filhos, esses dormiam profundamente no banco traseiro. Minha esposa, mesmo sentindo-se cansada não dormia de jeito nenhum, ficava conversando comigo o tempo todo para que eu não cochilasse ao volante. Diga-se de passagem, a mulher realmente é um anjo de guarda. 
O movimento de veículos na rodovia já se reduzira bastante naquelas horas pois já passava da meia noite, somente de vez em quando cruzávamos com alguém vindo na direção contrária. Preocupava-me somente a presença de animais na pista, pois o local era de reservas florestais bem densas e os animais a noite arriscam-se a atravessar a pista para procurar alimentos. Soubera de acidentes fatais naquela rodovia envolvendo animais. Mas os problemas que teríamos naquela noite não eram desse tipo. 
Na altura do quilômetro  325 da br 452 bem próximo a Santa Juliana, a minha esposa teria uma visão aterradora que causaria uma pane elétrica total no veículo. Eu estava numa velocidade entre oitenta e noventa por hora, e de repente minha mulher gritou apavorada alertando que alguém saíra do acostamento e vinha cruzando de frente com o veículo.

A FIGURA ESBRANQUIÇADA DE UM HOMEM SURGE VINDO DA MARGEM DA RODOVIA.
Mas eu não via ninguém a minha frente, somente  percebi quando ela levou as mãos a cabeça dizendo que a pessoa atravessou pelo carro.
Estranhamente não houve nenhuma colisão e no mesmo instante os faróis do passat se apagaram por completo e o motor morreu deixando-me ás cegas na pista. Graças a deus depois de uns quarenta metros, dirigindo com a cabeça para fora da janela consegui parar o carro. Minha esposa estava apavorada, desceu do veículo e voltou correndo para socorrer o homem, mas, aliviada descobriu que não tinha corpo nenhum, nem mesmo o veículo tinha algum sinal de amassado. Abri o capú e procurei  sob a luz de uma lanterna, ver se havia fios desconectados ou mesmo fuziveis queimados, mas estava tudo certinho. Dei partida novamente e o carro pegou na primeira retornando as luzes e o funcionamento do motor novamente. Ficamos boquiabertos e arrepiados com tal acontecimento. Olhamos em volta e delineamos a margem da rodovia uma cruz de madeira que indicava que alguem morrera naquele local.

Então, com uma estranha e gelada corrente de ar a açoitar nossos corpos adentramos imediatamente o veículo e saímos daquele local.   Percorremos um bom trecho da br calados até que eu resolvi quebrar o silencio perguntando a ela o que realmente tinha acontecido.  Minha esposa demorou a me responder pois orava baixinho para a pobre alma que perdera a vida naquele local. Explicou-me que naquela fatídica noite  tínhamos sido assombrados por uma alma em conflito. E naquela aparição tentava desesperadamente encontrar seu caminho, mas perdera-se entre uma dimensão e outra. E para encontrar a saída precisava de ajuda, que talvêz fôra dada através das inúmeras orações que rezamos durante um bom trecho da 452.

Obs: No relato da historia usou-se do artifício da primeira pessoa. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados para sua proteção, e toda e qualquer semelhança com outras histórias são meras conincidências. ENIGMACOM / Todos os direitos reservados.