terça-feira, 13 de dezembro de 2011

MANIFESTAÇÃO DIVINA OU SIMPLESMENTE COINCIDENCIA?

Este é um relato interessante. Com dezesseis anos de idade o adolescente Alex fizera uma promessa na solitária capelinha de N.S. Aparecida que fica às margens da br 452, perto de Santa Juliana no estado de Minas Gerais. Agora, quinze anos depois, já casado e pai de duas lindas crianças, voltaria ao local para cumprir o prometido. Era uma promessa simples, prometeu deixar ali, aos pés da santa, um quilo de feijão, contrariando a todo os ítens deixados até então, que eram retratos, bilhetes e objetos de uso pessoal. Imaginem, um quilo de feijão deixado ali em plena br, nem ele próprio, ao ser inquirido, soube responder o porque do quilo de feijão, promessa de menino; mas que fêz questão de cumprir. Ao meu ver, aquele quilo de alimento serviria para algum andarilho que ali passasse com fome e o coziria e se reabasteceria para sua eterna caminhada pelas br`s da vida; sei lá, desconhecemos os desígneos de Deus. Montou a sua quatrocentas cilindradas e lá foi ele com sua companheira na garupa. A distancia a percorrer não ela longa, mas temia ele que a moto desse uma falha mecânica ou mesmo furasse um pneu. Mas com fé partiu e uma hora depois recebi sua ligação dizendo que já chegara e que estava tudo bem, a máquina em seu primeiro teste se comportara muito bem. Relatou-me ele que ao chegar, após subir a trilha no barranco, ajoelhou-se frente a pequena capelinha, fêz as orações juntamente com a esposa e depositou ali o saquinho de plástico contendo o quilo de feijão prometido anos atráz. Sentira-se após, como se tivesse tirado um pêso enorme das costas. Fotografou o local e se preparou para descer em direção à sua moto que ficara estacionada às margens da rodovia. Ao começar a caminhar viu um pequeno pé de goiaba repleto de goiabinhas pequenas e ainda verdes, pelo jeito, calculou que ainda demoraria um bom tempo até que crescessem e madurassem, mas, como num passe de mágica, em meio aos frutos verdes viram duas enormes goiabas bem juntinhas ao ponto de serem consumidas. 
O casal se olhou e sem perda de tempo colheu os frutos que estranhamente surgiram ali. E eram precisamente dois frutos, pensou os jovens que certamente estaríam bichadas, mas não, estavam perfeitas e deliciosamente doces. Naquele  momento não notaram nada, mas terem encontrado aqueles frutos ali, naquela disposição, certamente foi um sinal dos céus, provávelmente um agradecimento da santa, na forma de uma especial refeição, ali, na solitária capelinha de Nossa Senhora Aparecida ás margens da br 452. Escreve-se por linhas confusas os desígneos de Deus, cabe a cada um interpretá-los à sua maneira e entendimento. Mas, dois frutos bem granados e maduros juntinhos num pé repleto de frutos verdes!...
Certamente é um enígma da natureza, mas esta, do meu ponto de vista, é o próprio Deus.