domingo, 26 de junho de 2011

CABOCLO DÀGUA

NÃO É LENDA, ELE EXISTE MESMO!
Nos noticiários de tv, a lendária criatura em referencia foi destaque na região mineira de Barra Longa, Mariana e Ouro Preto. Pelo menos imputam a ela os ataques a bezerros e até mesmo a moradores das regiões rurais. De prosa com amigos, esses me relataram já terem também visto o animal, ou sei lá como podemos defini-lo, pois conforme descrição fiz o esboço ao lado para representar a estranha criatura. Segundo eles, sua forma  lembra a humana, mas é escuro e tem a pele ou o couro bem liso, parecido com uma câmara de ar. É robusto e baixo e com uma barbatana nas costas, e mesmo que tenha forma básica humana, sua cabeça é em formato de cabeça de peixe. Seus olhos são minúsculos e o nariz apenas dois pequenos furos frontais. Lembra bastante aquelas figuras neandertais. Comentaram que a criatura não lhes hostilizou quando se depararam com ela, apenas os olhou apaticamente por alguns segundos e depois se atirou nas águas do riacho em que tinham ido pescar. Assustados e com medo, ainda puderam ver a barbatana fora da água descendo o riacho a procura de locais mais profundos, pois naquele local a profundidade era  rasa. Logo depois desse contato visual, os pobres companheiros deram asas as pernas, a pescaria ficaria para outro dia em local bem distante dali. A região em que viram esse estranho ser é no minicípio de São Roque, estado de Minas Gerais, precisamente numa comunidade chamada Paineiras. Esse riacho fica dentro das terras do Senhor Noé da Ariadne, e por coincidência nas proximidades da nascente do São Francisco. Há textos na internet que dizem ser a criatura protetor desse rio, mas eu prefiro acreditar que esse ser seja um híbrido de alguma forma de vida em evolução. Suas características são bem marcantes, pois seus pulmões tem capacidade de extrair o oxigênio tanto fora da água quanto debaixo dela. Certamente essa criatura vive em cavernas subterrâneas nas profundezas dos rios e de algum modo, na eterna escala de mutação de todas as formas de vida existentes, ela é apenas mais um elo perdido de nossa fantástica raça humana.
O ser em referencia vive desde os primórdios como uma lenda, nossos avós já falavam sobre ele, portanto são muitos contatos para apenas ser uma lenda. Ele existe, e certamente quando você for realizar aquela pescaria que vem planejando poderá ter oportunidade de comprovar sua existencia. Leve uma câmera, uma foto dele vale um bom dinheiro.
Essa página poderá ser reproduzida em outros veículos de comunicação, desde que sob previa autorização da administração de enígma.com.